BLOG DOS PROFESSORES APROVADOS SEEDF 2013

    Anúncios
  • Arquivos do Dia

    julho 2009
    D S T Q Q S S
    « jun   ago »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  
  • Arquivos do Mês

  • Categoria do Post

  • Posts Recentes

  • Siga-me no Twitter

    • RT @cartamaior: Vigorosa denúncia do golpe de direita no Brasil é feita no Parlamento Europeu pela bancada de deputados portugueses. https:… 1 year ago
  • Blog Stats

    • 43,742 Clicks

Inspiração: ENEM Se Baseia Em Teste Internacional

Posted by Gilberto Lenz em 10/07/2009

Matéria publicada na Gazeta do Povo em 6 de junho de 2009.

O novo Enem será elaborado segundo a Teoria da Resposta ao Item (TRI). O nome pode assustar, mas o governo não está “inventando a roda”. Esse modelo estatístico foi criado no início do século 20 e já é aplicado em provas como o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), cuja finalidade é comparar o conhecimento de estudantes de 15 anos de diferentes países. No site criado para tirar dúvidas sobre o Enem (www.enem.inep.gov.br), o Inep afirma que a TRI “garante a comparabilidade das notas entre diferentes edições a partir da calibração do grau de dificuldade das questões”.

Segundo Heliton Tavares, do Inep, cerca de 10 mil perguntas serão pré-testadas para que o Inep calibre o valor de cada uma. Dentro desse banco de questões, o governo selecionará as 180 que vão cair no Enem. “Iremos aplicar cada um desses itens (questões) para mil alunos, das redes pública e particular. Serão estudantes do segundo ano do ensino médio e estudantes de instituições superiores. Não usaremos a população padrão (estudantes do terceiro ano) por precaução, para que os alunos não saibam previamente o que vai cair na prova”, explica.

Tavares afirma que a TRI permitirá comparar o resultado dos estudantes ao longo do tempo. No modelo atual, mesmo que se tente manter a mesma complexidade nos exames de anos diferentes, o grau de dificuldade é sempre variável. Não é possível dizer com precisão se o resultado dos alunos melhorou ou piorou, porque são provas diferentes sendo comparadas. “Com a TRI você consegue comparar as habilidades dos alunos de um ano para o outro. Se a prova de um ano é mais fácil do que a do ano seguinte, aqueles alunos que fizeram a primeira acabam sendo beneficiados”, afirma o diretor do Curso Positivo, Renato Ribas Vaz.

Vaz ressalta que o Inep terá de minimizar não apenas a diferença entre o exame de um ano para outro, mas entre cada prova (Linguagens; Ciências Humanas; Ciências da Natureza; e Matemática) aplicada em edições distintas. “A complexidade de cada área precisa ser a mesma, porque as universidades podem dar pesos diferentes para cada uma de acordo com o curso escolhido pelo candidato”, diz. (MC)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: