BLOG DOS PROFESSORES APROVADOS SEEDF 2013

Cespe e Cesgranrio devem organizar nova prova do Enem

Posted by Gilberto Lenz em 05/10/2009

Matéria publicada no Portal de Notícias da Globo em 5 de outubro de 2009.

Inep rompeu contrato com consórcio que organizou prova que vazou. Correios, Força Nacional e PF devem atuar no próximo Enem.

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Reynaldo Fernandes, anunciou nesta segunda-feira (5) o cancelamento do contrato com o Connasel, consórcio responsável por aplicar a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que vazou na última semana, provocando o adiamento do teste. O rompimento, segundo Fernandes, foi bilateral.

O Ministério da Educação (MEC) tem duas opções: fazer um contrato de emergência ou tentar algum outro dispositivo de dispensa de licitação. “Já estamos em estágio avançado em negociações com quem fez o Enem em anos anteriores, como Cespe e Cesgranrio”, disse Fernandes.

Cespe e Cesgranrio já haviam aplicado juntas o Enem nos últimos três anos. Inicialmente, as duas empresas não quiseram participar da licitação, mas devem agora atuar juntas.

Já estamos em estágio avançado em negociações com quem fez o Enem em anos anteriores, como Cespe e Cesgranrio.

O Connasel, consórcio que organizaou o exame cuja prova vazou e que é formado pelas empresas Consultec (BA), Funrio (RJ) e Instituto Cetro (SP),  se reuniu com Fernandes na última sexta (2), em um encontro que entrou a madrugada, e na tarde desta segunda. Na semana passada, a reunião foi suspensa, pois o consórcio pediu mais tempo para reunir as informações pedidas pelo governo.

Na sexta, a presidente do Connasel e sócia-diretora da Consultec, Itana Marques Silva, disse que não houve fragilidade na segurança do Enem. “Não houve fragilidade na segurança do Enem. Quando o promotor de concurso assina um contrato com o Inep/MEC [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais], há protocolos, rotinas e compromissos que são muito rigorosos. Todos os critérios de segurança estabelecidos, acrescidos da nossa prática, foram executados”, afirmou.

O Inep já havia pagado cerca de 1/3 do contrato ao consórcio, algo em torno de R$ 38 milhões. “Quando o contrato entrou em suspeição, o Inep parou os pagamentos. Se ficar provado que é de responsabilidade do consórcio [o vazamento], eu sou obrigado a entrar com pedido de ressarcimento na Justiça”, disse Reynaldo Fernandes.

O Connasel terá um prazo para defesa e o governo ainda vai verificar se há algo a ser pago ao consórcio. O fim do contrato foi acertado bilateralmente. O valor a ser pago pelas novas empresas, responsável pela aplicação e correção da prova, ainda será definido e deve ser anunciado na quarta-feira.

Correios, Força Nacional e PF

Órgãos do próprio governo vão ajudar na realização do novo exame do Enem. Os Correios vão participar da distribuição das provas. A Força Nacional de Segurança e a Polícia Federal, por sua vez, serão responsáveis pela segurança.

O MEC estuda duas datas para a aplicação do Enem: o último fim de semana de novembro ou o primeiro fim de semana de dezembro. Em último caso, o ministério estuda realizar o exame em um dia de semana e decretar feriado estudantil.

Ao todo, 68 universidades têm convênio com o MEC para usar os pontos do Enem no processo de seleção. O presidente da Andifes, Alan Barbiero, que representa instituições federais de ensino superior, disse que as universidades podem atrasar em 15 dias o início das aulas. Ele deixou claro, no entanto, que a decisão cabe a cada universidade. O MEC se comprometeu a anunciar a nova data do Enem na próxima quarta-feira (7).

Investigação

Nesta segunda-feira (5), mais três pessoas foram indiciadas pela Polícia Federal (PF) por suspeita de envolvimento no vazamento das provas do Enem. As informações são da Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, que não forneceu a identidade dos suspeitos. No total, cinco pessoas já foram indiciadas.

No sábado (3) já haviam sido indiciados por suspeita de participação no vazamento o publicitário e dono de uma pizzaria Luciano Rodrigues e o DJ Gregory Camillo Craid.

A notícia de quebra do sigilo do exame, revelada pelo jornal “O Estado de S.Paulo”, fez com que o Ministério da Educação cancelasse, na quinta-feira (1º), a prova que seria aplicada no sábado (3) e no domingo (4) para mais de 4 milhões de estudantes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: